Pular para o conteúdo principal

Mensagem do Dia 23 de Novembro de 2010

Em que tempo vivemos?
Uma pesquisa realizada na Europa concluiu que o homem vive 70% de seu tempo no passado. Passamos a maior parte do tempo olhando para trás. Logo, nos sobram 30% de tempo para viver o presente, o “aqui-e-agora”. Como precisamos dormir e trabalhar, nos resta pouco para realizar coisas novas e produtivas, como fazer amigos ou cultivar os existentes.

Fazemos a proeza de não encontrar tempo para curtir quem mais amamos. Em uma crônica de Vinícius de Moraes sobre a amizade ele descreveu, como ninguém, este dilema que todos vivemos desde sempre:

“Se alguma coisa me consome e me envelhece, é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos e, principalmente, os que só desconfiam ou, talvez, nunca vão saber, que são meus amigos!”
Tenham todos uma otima terça-feira com muita luz
Adriano Carlos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MENSAGEM do dia 19 de novembro na voz de Adriano Carlos

MENSAGEM do dia 19 de novembro na voz de Adriano Carlos



Quem sabe não precisa? Um dia eu estava na frente de casa secando meu carro. Eu tinha acabado de lavar o carro e esperava minha esposa para sair para o trabalho. Vi, descendo a rua, um homem que a sociedade consideraria um mendigo. Pela aparência dele, não tinha carro, nem casa, nem roupa limpa e nem dinheiro. Tem vez que você se sente generoso mas há outras vezes que você não quer nem ser incomodado. Este era um dia do "não quero ser incomodado".

- Espero que não venha me pedir dinheiro. Pensei.
Não veio. Passou e sentou-se em frente, no meio-fio do ponto de ônibus e não parecia ter dinheiro nem mesmo para andar de ônibus. Após alguns minutos falou,
- É um carro muito bonito.

Sua voz era áspera mas tinha um ar de dignidade em torno dele. Eu agradeci e continuei secando o carro.
Ele ficou lá. Quieto, sentado enquanto eu trabalhava. O previsto pedido por dinheiro nunca veio. Enquanto o silêncio entre nós aumentava, uma voz…