Pular para o conteúdo principal

Pai Nosso conscientizado

Será inútil dizer “pai nosso”, se em minha vida não ajo como filho de Deus, fechando meu coração ao amor.
Será inútil dizer “que estais no céu”, se os meus valores são representados pelos bens da Terra.
Será inútil dizer “santificado seja vosso nome”, se penso apenas em ser cristão por medo ou comodismo.
Será inútil dizer “venha a nós o vosso reino” se acho tão sedutora a vida aqui cheia de supérfluos e vaidades.
Será inútil dizer “seja feita a vossa vontade”, se no fundo desejo mesmo é que todos os meus desejos se realizem.
Será inútil dizer “assim na Terra como no céu”, se prefiro acumular riquezas, desprezando os meus irmãos que passam fome.
Será inútil dizer “o pão nosso de cada dia nos dai hoje”, se na minha sapiência, só penso orgulhosamente, em mim mesmo.
Será inútil dizer “perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”, se não me importo em ferir, injustiçar, oprimir e magoar os que atravessam o meu caminho.
Será inútil dizer “e não nos deixeis cair em tentação”, se escolho sempre o caminho mais fácil, que nunca é o caminho de Cristo.
Será inútil dizer “livrai-nos do mal”, se, por minha conta,procuro os prazeres materiais e tudo o que é proibido me seduz.
Também será inútil dizer “amém”, porque, sabendo que estou agindo assim, continuo me omitindo e nada faço para mudar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MENSAGEM do dia 19 de novembro na voz de Adriano Carlos

MENSAGEM do dia 19 de novembro na voz de Adriano Carlos



Quem sabe não precisa? Um dia eu estava na frente de casa secando meu carro. Eu tinha acabado de lavar o carro e esperava minha esposa para sair para o trabalho. Vi, descendo a rua, um homem que a sociedade consideraria um mendigo. Pela aparência dele, não tinha carro, nem casa, nem roupa limpa e nem dinheiro. Tem vez que você se sente generoso mas há outras vezes que você não quer nem ser incomodado. Este era um dia do "não quero ser incomodado".

- Espero que não venha me pedir dinheiro. Pensei.
Não veio. Passou e sentou-se em frente, no meio-fio do ponto de ônibus e não parecia ter dinheiro nem mesmo para andar de ônibus. Após alguns minutos falou,
- É um carro muito bonito.

Sua voz era áspera mas tinha um ar de dignidade em torno dele. Eu agradeci e continuei secando o carro.
Ele ficou lá. Quieto, sentado enquanto eu trabalhava. O previsto pedido por dinheiro nunca veio. Enquanto o silêncio entre nós aumentava, uma voz…