Pular para o conteúdo principal

Entre o oito e o oitenta

Entre o oito e o oitenta 
  A eletricidade é importante na nossa vida, ela ilumina as residências, as empresas, as ruas da cidade… Mas a eletricidade pode eletrocutar um homem. A água, tão escassa hoje em dia em nosso planeta, é indispensável a nossa vida; ela mata nossa sede. O homem utiliza a água para tomar banho, cozinhar, lavar roupa e diante de uma falta de água quase enlouquece. Mas é importante lembrar que a água também pode afogar um homem. A água e o fogo lhe auxiliam no cozimento do mantimento que mata a sua fome. Mas o fogo mal utilizado pode queimar… O fogo pode lhe aquecer ou lhe queimar.
Se alguém lhe convida a ir até a sua casa e lá lhe oferece uma xícara de terra, você, certamente, irá ficar muito furioso. Mas se alguém usar esta terra para plantar café poderá, em algum momento, oferecer-lhe um cafezinho bem quentinho e delicioso. A terra é abençoada, serve para matar a fome quando o homem a usa para plantar.
Tudo é questão de equilíbrio. E assim, em todos os momentos da nossa vida, precisamos saber utilizar esta palavra – equilíbrio – com muita sabedoria, pois é ela que rege a nossa vida e que nos faz, a todo o momento, procurar a estrada correta.
Certa vez li que o homem não tem natureza perversa. Um bebê não é perverso. Ele pode se transformar em um distinto profissional ou no pior dos bandidos. Mas seja qual for o rumo que ele tomou, um dia ele foi uma inocente criança.
E por que, num determinado momento de sua vida, o homem segue o caminho errado? Por que diante da bifurcação que lhe apresenta duas escolhas, ele toma a decisão errada? Porque faltou equilíbrio!
O equilíbrio é a escolha entre o bem e o mal. É não escolher a opção de menos nem a demais, porque ambas não possuem a justa medida. É difícil? Sim… Nunca ninguém achou que seria fácil. Mas são os seus valores, seus preceitos, sua formação e sua ética que irão lhe apontar a escolha da proporção devida. A escolha que está entre o oito e o oitenta. A escolha com equilíbrio.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MENSAGEM do dia 19 de novembro na voz de Adriano Carlos

MENSAGEM do dia 19 de novembro na voz de Adriano Carlos



Quem sabe não precisa? Um dia eu estava na frente de casa secando meu carro. Eu tinha acabado de lavar o carro e esperava minha esposa para sair para o trabalho. Vi, descendo a rua, um homem que a sociedade consideraria um mendigo. Pela aparência dele, não tinha carro, nem casa, nem roupa limpa e nem dinheiro. Tem vez que você se sente generoso mas há outras vezes que você não quer nem ser incomodado. Este era um dia do "não quero ser incomodado".

- Espero que não venha me pedir dinheiro. Pensei.
Não veio. Passou e sentou-se em frente, no meio-fio do ponto de ônibus e não parecia ter dinheiro nem mesmo para andar de ônibus. Após alguns minutos falou,
- É um carro muito bonito.

Sua voz era áspera mas tinha um ar de dignidade em torno dele. Eu agradeci e continuei secando o carro.
Ele ficou lá. Quieto, sentado enquanto eu trabalhava. O previsto pedido por dinheiro nunca veio. Enquanto o silêncio entre nós aumentava, uma voz…