Pular para o conteúdo principal

Mensagem do dia 21 de Abril de 2010


Medo das coisas ruins
Amigos, muitas pessoas pautam suas vidas no medo de que sofrer coisas ruins, criando um sistema paranóico de defesa, em que desconfiam de tudo e de todos.
Constitui essa a melhor maneira de ser infeliz...
Primeiramente devemos sempre recordar que na maior parte de nossa vida acontecem fatos bons, positivos, que nos enriquecem a existência.
Depois, ocorrências desagradáveis à primeira vista trazem-nos aprendizados importantes, podendo na maioria das vezes serem revertidas em resultados benéficos adiante. E mesmo situações difíceis que deixem uma marca de tristeza fazem parte da vida, mesmo que não saibamos explicá-las nem compreender o seu significado.
Em muitos momentos enfrentamos obstáculos e perigos.
Os riscos da grande aventura chamada vida existem, não existindo situação de risco “zero”. Vençamos o medo de enfrentar tais obstáculos, bem como não vivamos esperando encontrá-los em cada esquina.
Recordando recomendação do inolvidável Mestre Jesus Cristo,
“a cada dia basta a sua preocupação”. Não é porque dias de tempestade desabe sobre nós que não mais teremos coragem de sair de casa e viver o dia lá fora com alegria, deixando de aproveitar o sol que nos aquece e ilumina.
Cuidados, sim; fobias e temores excessivos, não. Não tenhamos medo de encarar de frente cada dia que surge, mesmo naqueles em que formos visitados pelos problemas, pois cada dia tem a sua lição, e somente quem abraça a vida com vigor e entusiasmo sorve do néctar da felicidade e da paz... Tenha um Otimo Feriado e nos encontramos amanhã.
Abraços.
Adriano Carlos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MENSAGEM do dia 19 de novembro na voz de Adriano Carlos

MENSAGEM do dia 19 de novembro na voz de Adriano Carlos



Quem sabe não precisa? Um dia eu estava na frente de casa secando meu carro. Eu tinha acabado de lavar o carro e esperava minha esposa para sair para o trabalho. Vi, descendo a rua, um homem que a sociedade consideraria um mendigo. Pela aparência dele, não tinha carro, nem casa, nem roupa limpa e nem dinheiro. Tem vez que você se sente generoso mas há outras vezes que você não quer nem ser incomodado. Este era um dia do "não quero ser incomodado".

- Espero que não venha me pedir dinheiro. Pensei.
Não veio. Passou e sentou-se em frente, no meio-fio do ponto de ônibus e não parecia ter dinheiro nem mesmo para andar de ônibus. Após alguns minutos falou,
- É um carro muito bonito.

Sua voz era áspera mas tinha um ar de dignidade em torno dele. Eu agradeci e continuei secando o carro.
Ele ficou lá. Quieto, sentado enquanto eu trabalhava. O previsto pedido por dinheiro nunca veio. Enquanto o silêncio entre nós aumentava, uma voz…